Categorias
Notícias

Encontro Nacional da Micro e Pequena Empresa terá Carlos Da Costa, Carlos Melles e Valdemar Bernardo Jorge na abertura, dia 19

O secretário de Estado do Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge, representará o governo do Paraná na abertura do XIX Enampe, nessa quinta-feira, dia 19 de agosto, às 19 horas, em Curitiba. A abertura contará ainda com o presidente da Conampe, Ercílio Santinoni, que receberá Carlos Da Costa, secretário especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia; Carlos Melles, presidente do Sebrae Nacional; Fernando Moraes, presidente da FACIAP e do Conselho Deliberativo do Sebrae-PR, e Vitor Roberto Tioqueta, diretor Superintendente do SEBRAE/PR.

O tema geral do Enampe é “Pequenos Negócios e um novo olhar para as oportunidades”. Será aberto na noite de quinta-feira, dia 19, e prosseguirá durante a sexta-feira, a partir da 9 horas. Toda a programação será transmitida pela Internet, no canal Conampe do YouTube. Para ter acesso às salas online do Enampe as inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site conampe.org.br/eventos. Contatos com a Conampe podem ser feitos pelo e-mail imprensa@conampe.org.br, com o jornalista Diniz Neto.

Valdemar Bernardo Jorge coordena a secretaria de Planejamento, na equipe do governo do Paraná, onde vem atuando para concretizar projetos fundamentais para o Estado, dentre eles, o Plano de Retomada Econômica 2021/2022, o Programa Paraná Produtivo e o Plano Estadual de Desenvolvimento a longo prazo.

Ele é advogado, mestre em Direito Econômico e Social pela PUC-PR, tem pós-graduação em Direito Empresarial e Direito Tributário pela mesma instituição. Além da formação em Direito, tem curso superior em Informática pela Universidade Federal do Paraná e possui experiência com docência. Ele trabalhou como professor na Escola Superior da Magistratura Federal do Paraná, na Faculdade da Indústria IEL e na UniCuritiba. Preside o Partido Republicanos, no Paraná.

Também participará da abertura do XIX Enampe o secretário Especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia, economista Carlos Da Costa. Ele tem afirmado que as MPEs podem gerar crescimento de mais de 4% até 2030. Estudos demonstram que a produtividade das micro e pequenas empresas é o equivalente a 22% dias grandes companhias do país. Esta será uma das informações que serão apresentadas pelo economista, responsável pelas políticas públicas de apoio aos pequenos negócios no Ministério da Economia.

Carlos Da Costa é economista pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro, com mestrado e Ph.D (ABD) em Economia pela University of California. Foi diretor de Planejamento, Crédito e Tecnologia do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); presidente do Instituto de Performance e Liderança; executivo residente no JP Morgan e sócio-diretor do Ibmec Educacional. É fluente em inglês, francês, espanhol e italiano. Foi professor de Economia e Finanças no Ibmec, na UERJ e no Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais.

Estarão na abertura do Enampe o presidente da Conampe, Ercílio Santinoni, que receberá Valdemar Bernardo Jorge, Carlos Da Costa e também Carlos Melles, presidente do Sebrae Nacional; Fernando Moraes, presidente da FACIAP e do Conselho Deliberativo do Sebrae-PR; Vitor Roberto Tioqueta, diretor Superintendente do SEBRAE/PR.

A programação final do evento está publicada no site conampe.org.br/eventos.

Contatos com a Fampepar/Conampe:
Diniz Neto – Jornalista
WhatsApp (44) 99122 8715

Categorias
Notícias

Amic inaugura sua nova sede própria neste dia 28

Nesta segunda-feira, 28 de junho, às 8h30, a Associação de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Oeste do Paraná (Amic Paraná) inaugura a sua nova sede própria. O prédio, planejado para atender a associação, os associados e a comunidade, é a primeira construção da cidade de Cascavel, no estado do Paraná, reconhecida internacionalmente como “construção verde”.

A nova sede da Amic recebeu a certificação LEED nível Platinum e está localizado na Rua Maranhão, número 92, em Cascavel. A inauguração reunirá autoridades e convidados, dentre eles o presidente da Fampepar e do Sistema Conampe, Ercílio Santinoni, reconhecido nacionalmente como um dos principais líderes de representação e defesa das microempresas e pequenos negócios.

A Amic, presidida por Sonia Xavier, é uma das maiores e mais organizadas entidades de representação e defesa de micro e pequenas empresas do Paraná e do Brasil.

No país

No País, são 1.645 empreendimentos certificados LEED. Deste total, 65 são Platinum: 28 no Sul do Brasil, 18 no Paraná, sendo cinco em cidades do interior e, agora, dois na região Oeste do Estado. Este é o mais alto nível da certificação, que atesta sustentabilidade em edifícios, no mundo.

A certificação é um marco importante para Cascavel e incentiva a adesão a obras sustentáveis. O prédio certificado foi planejado visando os mais altos níveis de sustentabilidade e eficiência. A ideia principal do edifício é trazer a inovação, buscando as melhores práticas do mercado, sem tornar o edifício mais caro.

De acordo com o gerente da Amic/PR, Adroaldo De Grandi Segundo, a certificação avalia diversos fatores de um projeto. Cada uma dessas avaliações soma pontos e o empreendimento recebe o selo conforme este resultado. 

“Temos a mais alta pontuação, que é a Platinum. Isso é avaliado a partir de vários quesitos: Localização e Transporte; Terrenos Sustentáveis; Eficiência da Água; Energia e Atmosfera; Materiais e Recursos; Qualidade do Ambiente Interno; Inovação em Design; e Prioridades Regionais. Esta conquista é reflexo de bastante dedicação e muito cuidado, durante toda a construção”, ressalta Adroaldo.

Para a presidente da AMIC PR, Sonia Xavier, a certificação reforça o compromisso da instituição com a sustentabilidade. “É uma grande alegria para nós, sermos a primeira obra de Cascavel com selo LEED nível Platinum. Isso firma nosso compromisso em incentivar os empresários a cuidar do meio ambiente, a pensar no futuro do nosso planeta”, afirma.

Quesitos de sustentabilidade

O novo prédio da Amic/PR conta com geração de energia fotovoltaica e captação de água da chuva, geração de energia própria, automação completa do prédio, além do reuso de materiais de construção que foi feito em etapas previamente definidas, e materiais que diminuem o consumo de ar condicionado. 

“Tudo isso com uma metodologia de construção rápida e sem desperdício. O projeto arquitetônico levou em conta a posição do terreno, fazendo com que a face leste receba todo o sol da manhã e, com o uso de brises na fachada, permita uma luminosidade maior, controlando raios solares e usando vidros especiais para impedir a elevação da temperatura interna. A face oeste, que recebe o sol da tarde, foi pensada para receber as áreas de suporte, como banheiros, escadas e elevadores, com o uso de tijolos de bloco cimentício, para absorção do calor sem dissipar para os ambientes internos”, explica o gerente da Amic, Adroaldo De Grandi Segundo.

Com os diferenciais do uso de vidros de controle solar e de brises para retenção do calor; ar condicionado automatizado e sistema de iluminação LED, o edifício consome menos energia e gera menor impacto ambiental, aliado ao conforto e ao bem-estar de colaboradores e de associados. 

Redução de Custos e impactos ambientais

O valor investido no painel fotovoltaico e nas soluções de eficiência foi de R$ 231.800,00, com recursos próprios. A economia de energia prevista é de 100%, ou seja: o prédio é autossuficiente em produção, o que equivale a uma economia anual de R$ 39.144,00, apenas em energia. A economia anual de água prevista é de 82%, o que equivale a R$ 8.957,00, além da redução da emissão de carbono em 100%. A obra teve 76,5% dos resíduos aproveitados, equivalente a 51 metros cúbicos. 

Para redução de impactos ambientais foram instalados: vidros de alta performance; brises nas fachadas críticas para diminuição da carga térmica; ar condicionado VRF, sistema de iluminação eficiente; sistema de ventilação automatizado sob demanda; dimerização contínua de iluminação; geração de energia renovável para abastecimento de 100% da demanda do edifício; metais e louças de baixa vazão; aproveitamento de água da chuva para vasos, mictórios e limpeza; uso de acabamentos claros, permitindo menor intensidade luminosa do sistema de iluminação; paisagismo adaptado, com baixo consumo de água; disponibilidade de carregadores de carros elétricos; isolamento térmico nas paredes dos escritórios open plan; parede dupla na sala de Atos; uso de brises para diminuição do ofuscamento; e sensores de CO2 nos ambientes com alta permanência de pessoas.

Categorias
Notícias

Amic PR comemora 37 anos

A AMIC PR (Associação de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Oeste do Paraná) completa, hoje (25), 37 anos de existência, somando forças e multiplicando resultados para micro e pequenos empreendedores. A associação, fundada em 25 de maio de 1984 em Cascavel, é a maior entidade de micro e pequenos empresários do Brasil. São mais de 2.300 associados, além de parceiros e uma ampla rede credenciada com mais de 500 profissionais de saúde, hospitais, clínicas, consultórios e laboratórios conveniados.

A entidade tem como objetivo a promoção social e econômica de seus associados, por meio do estímulo ao desenvolvimento dos micro e pequenos empresários. A presidente da AMIC PR, Sônia Xavier, afirma que os 37 anos da AMIC são marcados pela história, escrita por todos que acreditaram no projeto. “É impossível não lembrar as pessoas que tiveram coragem de escrever essa história, acreditar na entidade. No decorrer do tempo, ganhamos muita credibilidade e hoje somos a maior associação do nosso segmento no Brasil”, reforça.

Para ela, a luta de outras diretorias e de todos os empresários envolvidos com a Associação foi importante para culminar no maior presente de aniversário: a inauguração da nova sede da AMIC PR, que ocorre em junho. “Esse é o nosso grande presente. Construímos uma história e uma luta para inaugurar a Casa do Empreendedor. Temos, agora, o desafio de colocar em prática projetos que só serão possíveis graças à construção da nova sede”, comemora.

Os 37 anos também são marcados pela expansão da entidade e pelo seu fortalecimento no apoio aos empresários durante a pandemia. A AMIC PR está, desde o começo do cenário pandêmico, atuando institucionalmente em prol de seus associados, seja representando seus interesses junto aos órgãos públicos, seja oferecendo soluções de auxílio direto para os negócios.

“A história que construímos nos garante esse olhar otimizado para os contextos que vão surgindo. A pandemia tem sido um grande desafio, que tem provocado movimentações internas intensas para que nossos associados estejam efetivamente amparados. E justamente nesse momento desafiador, projetamos nossa expansão, porque percebemos a lacuna existente. O associativismo pode e fará a diferença na recuperação econômica. Acreditamos nisso”, comenta a presidente da AMIC PR, Sonia Regina Spengler Xavier.

História da AMIC PR se confunde com o conceito de microempresa

O conceito de microempresa ainda chegava ao Brasil, em 1984, quando Cascavel já tinha empreendedores visionários, preocupados com o desenvolvimento do setor.  Percebendo a necessidade de modernização nessa área foi que um grupo de empresários criou a AMIC, na época denominada Associação de Micro Indústrias de Cascavel, que foi a segunda neste formato, no Brasil. Hoje, a AMIC PR é a maior entidade de micro e pequenas empresas do País.

Neste período, de 37 anos, foram muitas conquistas e participações em debates nacionais e internacionais, auxiliando a formular a legislação que rege as microempresas atualmente.

Ações
A Cohamic (Cooperativa Habitacional Amigos de Cascavel) foi um dos destaques do período. Ela nasceu com a intenção de facilitar o acesso à moradia para associados da entidade.

Outra ação destaque na história da entidade é a Central de Negócios Automotivos. Ela surgiu em 2013 com a ideia de organizar um grupo da área de automóveis, para desenvolver melhor o setor.

O Convênio Saúde, existente há mais de 25 anos, foi criado, na época, como algo inovador. O intuito sempre foi beneficiar o associado, oferecendo atendimento de saúde particular de qualidade, e de forma mais acessível.

A AMIC PR também participou das mudanças da Nova Lei Trabalhista. A entidade, em conjunto de outras instituições, foi responsável pela elaboração de 28 propostas de alteração da Lei Trabalhista, das quais 13 foram acatadas.

Em 2015, a AMIC PR foi reconhecida como uma das maiores associações dessa área na América Latina, no 2º Congresso Latino Americano da Micro e Pequena Empresa. No evento, foram 23 estados representados, 7 países representantes e Cascavel como sede.

A AMIC também foi uma importante interlocutora de uma medida que facilitou a vida de muita gente: a criação do PSS (Plano de Segurança Simplificado) em 2014. O objetivo da ação é diminuir o tempo gasto para aprovação de projetos junto ao Corpo de Bombeiros. Agora, 40% das plantas de obras se enquadram neste benefício.

O Café com Negócios também é uma das ações mais importantes da AMIC PR. Há cerca de uma década, a ideia surgiu a partir de um encontro no SESI em Toledo. O evento se expandiu e hoje já ultrapassa 100 edições, ajudando os associados a apresentar os serviços a outros empresários.

A associação também conta com diversos benefícios aos empresários: convênios, assistência jurídica, convênio pet, cartão benefícios e acesso ao crédito, entre outras possibilidades de parceria e de crescimento, como os módulos de capacitação para empresários, que auxiliam no desenvolvimento do empreendedor.

Categorias
Notícias

Hoje tem inauguração de Escritório de Compras Públicas Virtual, às 19h

A Sala do Empreendedor de Piraquara está convidando para a INAUGURAÇÃO do Escritório de Compras Públicas Virtual.
O evento é parte do programa Compra Paraná, feito para simplificar e fortalecer as comprar governamentais. A Fampepar participa do programa e apoia todas as suas iniciativas e eventos.

Criar um ambiente de negócios favorável é a base do crescimento econômico regional, principalmente quando contribui para o relacionamento entre compradores e fornecedores locais.

Descubra oportunidades no mercado de licitações e amplie suas vendas como fornecedor do setor público.

Data: 28/04/2021
Horário: 19h às 21h
Local: Online – Plataforma Zoom

Faça sua inscrição através do link : 👇🏻
https://forms.gle/hmeV1BkX9PVchoao8

Esperamos você! Apoie e participe do Compra Paraná!

Categorias
Notícias

Paraná dá início à segunda fase do processo de desburocratização na abertura de empresas

O Governo do Estado deu início à segunda fase do projeto de desburocratização e aceleração do processo de abertura de empresas no Paraná. A proposta é implementar ainda neste ano um ambiente único digital que agrupe todas as licenças necessárias que precisam ser viabilizadas pelo empreendedor para a emissão do alvará de funcionamento do estabelecimento.

O presidente da Fampepar, Ercílio Santinoni, elogiou o trabalho da Junta Comercial e o apoio do governador Ratinho Junior.

A ferramenta idealizada pela Celepar em parceria com o Sebrae-PR vai reunir todos os órgãos estaduais envolvidos na elaboração do documento, como Junta Comercial, Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros e Instituto Água e Terra, entre outros. Terá, ainda, espaço para as licenças municipais complementares, apostando na integração dos ambientes como forma de dar agilidade ao processo.

O projeto foi apresentado ao vice-governador Darci Piana nesta sexta-feira (23), durante reunião no Palácio Iguaçu, e é mais um avanço em relação ao Programa Descomplica, que visa simplificar a máquina pública.

“Seguimos a diretriz do governador Carlos Massa Ratinho Junior de fazer do Paraná o estado mais moderno e inovador do Brasil. Já avançamos muito. Hoje a Junta Comercial consegue emitir um CNPJ em um dia, às vezes em questão de minutos. Mas precisamos dar esse novo passo, unificando os municípios, para seguir avançando”, comentou Piana. “Sem, é claro, se descuidar da segurança e de todos os protocolos necessários”.

Presidente da Junta Comercial do Paraná (Jucepar), Marcos Rigoni destacou que esse agregador de informações terá impacto direto no ambiente de negócios do Estado, tornando o Paraná ainda mais convidativo para investidores. “Tudo o que estava ao alcance da Junta Comercial neste processo de modernização foi feito. Agora é buscar o próximo estágio, com a integração dos municípios. Tornar mais fácil a vida do empreendedor é um projeto de governo, por isso vamos reunir todas as partes integrantes do processo para agilizar a abertura de empresas”, disse.

Ele lembrou que o Paraná segue entre os estados em que é possível legalizar uma empresa de forma mais rápida no País. Segundo o Redesim, mapeamento dinâmico realizado pela Receita Federal, o trabalho da Junta Comercial do Paraná permite abertura em apenas 1 dia e 14 horas, bem à frente da média nacional, de 3 dias e 9 horas. Em março, apenas Sergipe, Espírito Santo e Goiás tiveram resultados melhores.

“Agora é necessário o avanço de todas as partes, porque as outras Juntas Comerciais do País também estão melhorando”, ressaltou Rigoni.

TECNOLOGIA – Presidente da Celepar, órgão responsável pela área tecnológica do Governo do Estado, Leandro Moura reforçou a necessidade de fazer da inovação uma das principais parceiras da máquina pública. A intenção, ressaltou, é que o dispositivo seja mais um facilitador para quem busca empreender.

Com a adesão dos municípios, disse, o empresário de qualquer cidade do Paraná poderá saber e dar a entrada em todas as licenças necessárias para abrir as portas. E também de quais estará dispensado, encurtando caminhos. “É algo sensacional, que colocará o Paraná mais uma vez na vanguarda de todo o sistema”, afirmou.

“Vamos melhorar o ambiente de todas as empresas, incluindo as micro e pequenas. Somos parceiros da Junta Comercial há muitos anos e vamos cuidar da aproximação e da adequação dos municípios. A intenção é que a empresa possa funcionar, com todas as licenças liberadas, no menor tempo possível”, destacou o diretor-superintendente do Sebrae-PR, Vitor Tioqueta.

SALDO POSITIVO – O Paraná fechou 2020 com um saldo de 159.398 novas empresas, um crescimento de 26,82% com relação a 2019. No ano passado, 229.891 empresas foram constituídas e 70.493 extintas no Estado. O número absoluto de novos empreendimentos foi 17% superior ao ano anterior, quando houve a inclusão de 196.510 CNPJs no sistema da Junta Comercial. Ao mesmo tempo, menos empresas foram fechadas em comparação a 2019, ano que registrou 70.829 baixas.

Desempenho que segue em alto neste ano. O saldo de empresas constituídas entre janeiro e março de 2021 foi 9,8% superior ao mesmo período do ano passado. Neste trimestre foram 49.047 de saldo, resultado de 73.236 novas constituições e 24.189 baixas. O saldo do primeiro trimestre de 2020 também foi positivo: 44.671 (diferença entre 62.637 aberturas e 17.966 baixas).

PRESENÇAS – Participaram da reunião o secretário de Estado da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares; o comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Paraná, coronel Gerson Gross; o diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin; o diretor-presidente do Instituto Água e Terra (IAT), Everton Luiz da Costa Souza; o chefe de gabinete da Secretaria de Estado da Saúde, Cesar Neves; a coordenadora da Vigilância Sanitária da Sesa, Luciane Otaviano de Lima; o presidente do Comitê Estadual Descomplica, Luiz Fernandes de Moraes Júnior; a diretora do IAT, Jaqueline Dorneles; e o coordenador de Integração Econômica da Secretaria de Estado do Planejamento e Projetos Estruturantes, Marcelo Percicotti.

Categorias
Notícias

Governo do Paraná dará auxílio emergencial para MEIs, pequenas e microempresas

As pequenas e microempresas paranaenses dos segmentos mais afetados pela pandemia receberão um auxílio emergencial do Governo do Estado. O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (6) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior em um encontro com deputados estaduais, chefes de outros Poderes e representantes do setor produtivo. As iniciativas tramitarão na Assembleia Legislativa.

No total, 86,7 mil empresas terão direito a um o socorro de R$ 59,6 milhões, com recursos provenientes do Fundo Estadual de Combate à Pobreza do Paraná (Fecoop). Pequenas empresas cadastradas no Simples Nacional em quatro segmentos receberão R$ 1.000. Já os microempreendedores individuais (MEIs) de seis setores terão direito a R$ 500. 

Serão quatro parcelas de R$ 250 para pequenas e microempresas paranaenses optantes do Simples Nacional com Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) de Transporte de Passageiros (como vans escolares e ônibus de turismo), de Confecções de Vestuário e Calçados (lojas de roupas, calçados e outros itens de vestuário), de Bares, Lanchonetes e Restaurantes e similares, e Aluguel de Equipamentos Recreativos e Esportivos.

Para receber o auxílio, é preciso ter inscrição estadual ativa e comprovar faturamento ou declaração no PGDAS-D no valor de até R$ 360 mil durante o ano de 2020.  Em todo o Paraná, 32.697 empresas podem se enquadram nesses requisitos necessários e solicitar o auxílio, segundo estimativas da Secretaria de Estado da Fazenda. O investimento será de R$ 32,6 milhões.

Já os MEIs dos segmentos de Bares, Lanchonetes e Restaurantes, Produtores de Eventos, Agentes de Viagem e Operadores Turísticos, Atividades de Sonorização e Iluminação, Casas de Eventos, Empresas de Filmagens de Eventos e Produtores de Teatro receberão duas parcelas de R$ 250. Em todo o Estado, 54 mil microempreendedores podem fazer parte deste recorte. O investimento será de R$ 27 milhões.

CRÉDITO – O projeto de lei também prorroga por 120 dias a validade das Certidões Negativas de Débitos Tributários e de Dívida Ativa Estadual e das Certidões Positivas com Efeitos de Negativa de Regularidade de Débitos Tributários e de Dívida Ativa Estadual, bem como a consulta ao Cadastro Informativo Estadual (Cadin), para fins de operações de crédito realizadas com instituições financeiras públicas no âmbito do Estado do Paraná.

Como medida auxiliar no crédito, cerca de 40 mil empresários que têm financiamentos ativos na Fomento Paraná terão as parcelas congeladas por seis meses.

ICMS – Também será publicado um decreto que prorroga o prazo de pagamento da parcela estadual do ICMS devido por estabelecimentos optantes do Simples Nacional. A medida, elaborada pela Secretaria da Fazenda e Receita Estadual, pode beneficiar até 226 mil pequenas empresas ativas no Paraná. 

O texto estipula que os pagamentos referentes aos meses de março, abril e maio de 2021 terão vencimento em 30 de junho, 30 de julho e 31 de agosto, respectivamente. Assim, portanto, os pequenos empresários ganham três meses de folga nas contas. 

Outro decreto proporciona às empresas paranaenses o parcelamento do ICMS devido a título de substituição tributária (GIA-ST), em até seis parcelas mensais, no caso de fatos geradores ocorridos até abril de 2021. A medida vale para empresas inscritas ou não em dívida ativa, e o benefício pode ser requerido até o dia 30 de junho.

COOPERA – Outra medida anunciada nesta terça-feira foi um novo edital de R$ 31,5 milhões para o Coopera Paraná. O Programa de Apoio ao Cooperativismo da Agricultura Familiar do Paraná (Coopera Paraná) é uma ação governamental com o objetivo de fortalecer as organizações cooperativas como instrumentos para melhorar a competitividade e a renda dos agricultores familiares.

Categorias
Notícias

Fampepar emite nota de pesar pela morte do empresário Ali Wardani

O presidente da Conampe e da Fampepar, Ercílio Santinoni, assinou nota lamentando a morte do empresário Ali Wardani, 69 anos, presidente do Sivamar e diretor do Sistema Fecomércio Paraná, ocorrida na madrugada deste domingo, 21 de março, em Maringá.

Ercílio registra que Ali Wardani sempre foi um defensor do empreendedorismo, da inicitiva privada e do associativismo, tendo contribuído de forma importante e direta para o desenvolvimento comercial e empresarial de Maringá e do estado do Paraná. “Foi, sem dúvida, uma das mais expressivas lideranças empresariais de Maringá e do nosso estado”, afirma Santinoni.

“Ali, antes de ser um empresário de sucesso e um líder realizador, foi uma pessoa do bem, altivo, consciente e generoso, reunia todos os bons predicados, como amigo, companheiro, conselheiro, dono de um caráter exemplar e motivador”, escreveu Ercílio Santinoni.

Veja a nota de pesar, na íntegra:

“Maringá e o Paraná perderam hoje, por complicações da covid-19, Ali Wardani, um grande homem, empresário de sucesso, líder empresarial justo e mobiizador.
Antes de ser um empresário dedicado e um líder realizador, foi uma pessoa do bem, altivo, consciente e generoso, reunia todos os bons predicados, como amigo, companheiro, conselheiro, dono de um caráter exemplar e motivador.
Liderou e apoio os principais movimentos comunitários de Maringá, como a criação do Conselho Comunitário de Segurança, do Conselho de Desenvolvimento, a estruturação e consolidação das entidades empresariais, a fundação da Cooperativa de Crédito Sicoob Metropolitano, a implantação e desenvolvimento do Sesc da cidade.
Fundou e presidiu a Sociedade Beneficente Muçulmana.
Ali foi, sem dúvida, uma das mais expressivas lideranças empresariais de Maringá e do nosso estado. Permanecerá em lugar de destaque na história empresarial e da sociedade organizada de Maringá e do Paraná como um exemplo de vida dedicada à comunidade e ao desenvolvimento econômico e social. Em resumo, dedicou a sua vida a contribuir para a construção de uma sociedade mais justa e melhor para todos.
A Fampepar, em nome das microempresas, MEIs, artesãos e pequenas empresas, registra o seu pesar pela perda e o aplauso eterno ao grande empresário e líder, Ali Wardani.

Categorias
Notícias

Fampepar também quer pedágio pelo menor preço e sem outorga

A Fampepar é a favor do modelo de concessão de rodovias que envolve apenas o menor preço, em que a empresa que oferecer a tarifa de pedágio mais baixa ganha a concessão. “Precisamos garantir preço justo para os paranaenses, sem criar mais custos para a sociedade”, afirma o presidente da Fampepar, Ercílio Santinoni. Esta posição está sendo divulgada pela federação para todas as suas entidades, em todas as regiões do Paraná.

Para o presidente da Fampepar, o valor do pedágio tem a ver com a competitividade do Paraná, que sofre, desde 1998, com uma tarifa muito elevada e com o atraso em obras de contrapartida, outro prejuízo aos paranaenses.

A proposta apresentada pelo Ministério dos Transportes prevê que, além do menor preço, o maior valor de taxa de outorga seja o critério para definir as empresas vencedoras da licitação.

A Fampepar concorda com a Faep, entidade que representa os produtores rurais, que publicou nota com o seguinte alerta: “Na prática, a cobrança de outorga é um imposto indireto aos usuários e produtores rurais, e vai na direção oposta à que defendemos há tanto tempo, de enxugar ao máximo a tarifa”.

“Somos a favor de um modelo que seja justo a todos, sem criar mais cobranças para a sociedade e para o produtor ver seus ganhos, que já são muito apertados, diminuírem. O edital precisa estabelecer prazos curtos para duplicação nos principais trechos do Estado, nas saídas para os portos de Paranaguá e Santos e para o mercado interno, principalmente rodovias para a região Sudeste”, disse o presidente da FAEP, Ágide Meneguette.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), membro da Frente Parlamentar sobre o Pedágio, da Assembleia Legislativa do Paraná, destacou o posicionamento da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) de defender que as novas concessões de pedágio no Paraná busquem o menor preço das tarifas, com a realização das obras no curto prazo e sem a cobrança de taxa de outorga.

“É o modelo que estamos defendendo. Um pedágio com tarifas mais baixas, com tarifas justas e com obras que garantam a competitividade dos produtos e da economia paranaense. A taxa de outorga nada mais é do que um imposto indireto que vai pesar no bolso de todos os usuários”, disse Romanelli.

A Frente Parlamentar tem realizado audiências públicas em todas as reigões do Paraná, para ouvir a sociedade sobre as novas concessões. A primeira audiência foi realizada em Cascavel, com participação e mobilização da Amic, associação do sistema Fampepar/Conampe, liderada pela presidente Sonia Regina Xavier.

Veja a transmissão deste evento, na TV Assembleia:
https://youtu.be/0w1vj3djFzg

Categorias
Notícias

Governo do Paraná atende Fampepar e elimina cobrança indevida para MEIs

O governo do Paraná anunciou ontem uma medida que vinha sendo solicitada pela Fampepar, a Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais do Estado do Paraná. Foi determinada a atualização no sistema de vistoria do Corpo de Bombeiros, eliminando a emissão indevida de guia de recolhimento de taxa por microempreendedores individuais (MEIs) do Paraná.

Por lei, quem possui CNPJ de MEI é isento de taxas de funcionamento, mas no processo de criação de uma empresa havia um direcionamento para o site do Corpo de Bombeiros e a geração automática de uma guia de pagamento (GRPR).

O secretário do Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge, que preside o Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Estado do Paraná (Fopeme), relatou  que havia esta demanda para que a guia deixasse de ser emitida. Segundo ele, muitos empreendedores buscavam informações e não faziam o recolhimento da taxa, enquanto outros pagavam e pediam ressarcimento ao Estado ou arcavam com uma despesa desnecessária.

Além disso, os Bombeiros precisavam identificar quais guias eram de MEI para fazer a isenção manualmente. De acordo com dados da Junta Comercial do Paraná, entre janeiro e novembro do ano passado, 165.073 MEI foram registrados no Estado.

Em dezembro de 2020 foi criado um grupo de trabalho para resolver o problema e a implementação da mudança ocorreu no dia 4 de janeiro, quando 19 MEI foram registradas já sem a emissão da guia de vistoria.

Ercílio Santinoni, presidente da Conampe, a Confederação Nacional das Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais, membro do Fórum Permanente da Microempresas e Empresas de Pequeno Porte nacional e também do Fórum do Paraná, enalteceu a medida, que beneficiará os MEIs do estado, desburocratizando e auxiliando na sua formalização.

A Fampepar integra o Sistema Conampe, que atua em todos os estados do País representando e defendendo as microempresas, os MEIs e as pequenas empresas.

Acompanhe a Fampepar na Internet:
Site – https://fampepar.com.br
Instagram – https://www.instagram.com/fampepar
Facebook – https://www.facebook.com/fampepar

Acompanhe a Conampe na Internet:
Site – https://conampe.org.br/
Instagram – https://www.instagram.com/conampe2
Facebook – https://www.facebook.com/sistemaconampe

Jornalista Diniz Neto – (44) 99122 8715

Categorias
Notícias

Fampepar presente ao lado da Conampe na reunião do Fórum Permanente

No dia 16 de dezembro de 2020, realizou-se a Reunião Plenária do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte de 2020. Devido à pandemia da Covid-19, a reunião foi realizada de forma remota (on line) e contou com a participação de vários órgãos e entidades parceiras. Participaram o Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério de Economia, Carlos Da Costa, o Presidente do FPMPE, Gustavo Ene, o assessor do Senador Jorginho Mello, Henrique Junqueira, e o Diretor do SEBRAE, Eduardo Diogo, além da presença de 75 entidades representativas dos pequenos negócios.

A reunião foi conduzida pela Subsecretária de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas, Empreendedorismo e Artesanato do Ministério da Economia, Antônia Tallarida, que apresentou os seguintes avanços e desafios na agenda das MEPPs:

• PRONAMPE
• PEAC/FGI
• PEAC/MAQUININHAS
• SISTEMA NACIONAL DE GARANTIAS DE CRÉDITO
• SISTEMA DE DEFESA DO EMPREENDEDOR
• LEI GERAL DE PROTEÇÃO DE DADOS PARA MICRO E PEQUENAS
• PORTAL DO EMPREENDEDOR E ARTESANATO
• CREDMEI/CREDMPE
• EMPRESTÔMETRO
• BUSCADOR DE MÁQUINAS DE CARTÃO
• FORMALIZAÇÃO DE ESTRANGEIRO
• DISPENSA DE ALVARÁ E LICENÇA DE FUNCIONAMENTO
• AMPLIAÇÃO DAS OCUPAÇÕES PERMITIDAS PARA O MEI

Por fim, foi apresentado e debatido o MARCO LEGAL DO REEMPREENDEDORISMO – PLP 33/2020, conquista para os pequenos negócios iniciada no âmbito FPMPE. Esse projeto estabelece alternativas mais simples e menos onerosas para renegociação e liquidação das microempresas e empresas de pequeno porte.

O presidente da Conampe, Ercílio Santinoni, avalia que em 2020 aconteceram avanços no entendimento da importância dos pequenos negócios para a economia e o equilíbrio social do País.
A Conampe está confiante de que novas leis e políticas públicas deverão trazer ambientes melhores para as microempresas, MEIs e pequenas empresas.
A Conampe participa do Fórum desde a sua ideia e do trabalho para a sua constituição. A sua importância tem sido crescente, centralizando o debate sobre a realidade das micro e pequenas empresas brasileiras.
Ercílio Santinoni reafirmou que a Conampe e todas as entiades do sistema, estabelecidas em todas as regiões do Brasil, espera que o Pronampe e o Peac Maquininhas sejam tornados programas permanentes, a aprovação do Sistema Nacional de Garantias é outro anseio prioritário dos pequenos negócios, ao lado da aprovação do Marco Legal do Reempreendedorismo.
2021 será um ano desafiador e o importante é a aposta dos pequenos negócios no associativismo, na formalização e qualificação da gestão. A Conampe está pronta para apoiar e defender a micro e pequenas empresas, confiante de um ano com muitas oportunidades.

A Fampepar atua ao lado da Conampe no movimento nacional, representando as entidades e os pequenos negócios do estado do Paraná.