*Ricardo Oliveira Neves

Notem: além de todas as cautelas para não pegar o tal vírus, é fundamental manter a sanidade mental. E para isso o melhor remédio e terapia é o que chamo de “exercício de fazer sentido.” O que, em minha opinião, começa inequivocamente por alinhavar fatos, concretos e inquestionáveis, para tentar ver luz no final do túnel, como por exemplo:
— Equipes de cientistas dos mais qualificados do planeta estão empenhadas na busca de promissoras vacinas e conseguiram em tempo recorde resultados surpreendentes e positivos. Mais de 25 marcas estão em vias de se tornarem disponibilizadas, garantindo eficácia imunológica.
— As vacinas, na medida em que ganham chancela da aprovação nestes primeiros meses de 2021, vão na sequência escoar em um fabuloso e jamais visto esforço global de distribuição sanitária em operação orquestrada por governos e em parceria com empresas e sociedade civil organizada. Paralelamente, um esquema jamais visto de vibrante comunicação social vai produzir em semanas um nível de conscientização massiva e gerar um esforço sanitário global que vai encurralar o ceticismo e a ignorância.
— A vacinação vai acelerar em ritmo exponencial e, em contrapartida, a propagação do coronavírus vai declinar igualmente em velocidade exponencial.
— A Covid-19 não vai ser eliminada. Mas, felizmente, outros grupos com as melhores equipes globais de cientistas está se dedicando sem descanso na busca de fármacos específicos para a cura daqueles que eventualmente não tiverem autoimunidade adequada. Novas drogas ao longo de 2021 serão incorporadas ao arsenal para o combate ainda nos primeiros estágios das mais diversas, cruentas e ainda misteriosas afetações que o insidioso vírus produz. Assim, o coronavírus sobreviverá. Mas a gerar danos controlados e dificilmente letais, como acontece com moléstias endêmicas, como a malária e a gripe.
— Mesmo com todo o progresso das vacinas e fármacos, é imperativo ser realista. Ao longo de 2021 e um pouco mais à frente será ainda crucial manter o protocolo de emergência sanitária que aprendemos ao longo de 2020. Máscaras seguem sendo a arma mais valiosa, e igualmente regras de distanciamento social e rotinas paranoicas de desinfecção sanitária.
— Finalmente, quando estivermos fechando o ciclo de controle da pandemia, um par de anos à frente, nos daremos conta de que reinventamos criativamente produção, consumo e estilos de
vida, enfim a própria economia. A tecnologia está pronta e disponível para nos ajudar a solucionar problemas que hoje estorvam atividades econômicas e sociais. O mais desafiador neste contexto é a mudança de mentalidade das pessoas, das velhas ideias e crenças que nos impedem de enxergar novas possibilidades.
Neste momento tão difícil de incertezas, a esperança depende mais nossa capacidade de fazer coletivamente um novo sentido da realidade. Depende até mesmo mais do que da fé, pois fé cada um tem a sua. A gente vai, sim senhor, ser capaz de criar e fazer um novo sentido e seguir em frente na grande aventura humana em direção a outros desafios.

*Ricardo Oliveira Neves é consultor e autor de “Sensemaking: Liderança por Propósito – Comunicação Estratégica para um mundo de complexidade exponencial”. Artigo publicado em “O Globo”.

O Sebrae-PR está desenvolvendo o projeto “Reinvente a sua Cidade”, com o objetivo de ajudar os municípios do Estado a se estruturarem no enfrentamento da crise e na retomada da economia no período posterior à pandemia da Covid-19: o “Reinvente a sua Cidade – da Crise à Oportunidade”. Por meio dele, os parceiros oferecerão aos municípios acesso a soluções inovadoras de maneira digital, coletiva, inclusiva e sem custos. Em uma segunda fase, o projeto será lançado e apresentado oficialmente aos prefeitos do Estado.

O “Reinvente sua Cidade – da Crise à Oportunidade” está sendo desenvolvido em parceria com o Governo do Estado, Sistema Fiep (Federação das Indústrias do Paraná), Fecomércio (Federação do Comércio do Paraná), Fetranspar (Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Paraná), Fomento Paraná, BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul), Sistema Ocepar (Organização das Cooperativas do Paraná), Faciap (Federação das Associações Comerciais do Paraná) e Fampepar (Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais do Paraná).

A Associação dos Municípios do Paraná (AMP), está ao lado do Sebrae e do Governo do Paraná, acompanhando e apoiando o projeto.

O coordenador de Negócios Institucionais do Sebrae/PR e da ação de retomada econômica por meio do “Reinvente sua Cidade”, Vinicius Milani, explica que o objetivo do projeto é apresentar uma ferramenta simples e de rápida operacionalização para garantir a retomada do desenvolvimento nas prefeituras, com o apoio de todos os parceiros que os governantes considerarem necessários, incluindo as universidades e empresas . “O projeto é gratuito, inclusivo e coletivo”, comentou.

Haverá um lançamento oficial do projeto, que ocorrerá quando houver controle da pandemia da Covid-19, seguido de nove eventos regionais virtuais para orientar as prefeituras a aplicarem o manual. “Precisamos salvar vidas, empresas e empregos”, comentou. Milani explicou que o projeto objetiva oferecer soluções criativas para as prefeituras.

O presidente da Fampepar, Ercílio Santinoni, ressalta que a entidade está mobilizando as suas associações para participar do projeto oferecendo serviços e soluções para os municípios, ao lado de todas as entidades parceiras.

Imprensa Fampepar: imprensa@conampe.org.br